Parece que seu navegador está desatualizado.

Para a sua comodidade e segurança é importante manter seu navegador sempre atualizado com as versões mais recentes. Selecione abaixo o navegador que você utiliza para atualizá-lo agora mesmo e visualizar o conteúdo deste site corretamente:

IE FIREFOX CHROME OPERA SAFARI
Acesso Cliente

Blog

Psicologia das cores na decoração Dicas | Decoração

Psicologia das cores: uma boa aliada para a decoração do seu imóvel


O estudo que analisa os significados das cores e os sentimentos causados por elas é denominado “Psicologia das Cores”. Neste artigo iremos abordar o surgimento deste estudo, a aplicação das cores e as sensações provocadas por elas no nosso cérebro e como a psicologia das cores pode ser aplicada quando falamos em decoração.


UM POUCO DA HISTÓRIA

Foi no século XVII que o físico e matemático Isaac Newton, ao utilizar o reflexo dos raios solares em um prisma polido, descobriu que os feixes de luz emitidos pelo sol não são puros e sim formados por várias outras cores. Mediante a essa descoberta Newton criou o “Color Wheel”, um sistema de cores em forma de círculos que mais tarde fora modificado por Johann Wolfgang von Goethe, famoso escritor alemão que também adentrou no campo da ciência devido a sua curiosidade pela natureza ótica das pinturas renascentistas.


Em suas pesquisas, Johann Wolfgang Von Goethe foi além das ideias de Newton que viam a cor apenas como um fenômeno físico. Durante seus estudos, Goethe levou em consideração o efeito que as cores exercem sobre nosso cérebro. Segundo ele, a percepção de tons pode ser diferente para cada pessoa, no entanto, a sensação provocada por elas é sempre a mesma.


Veja um exemplo: o vermelho, amarelo e laranja costumam causar excitação e dinamismo, mas no caso do azul e do roxo, somos remetidos à tranquilidade. Embora seja mais comum em áreas como comunicação e marketing, a psicologia das cores está presente no nosso dia-a-dia de outras maneiras também, como é o caso da decoração de imóveis, ponto que abordaremos nas próximas linhas deste artigo.


A PSICOLOGIA DAS CORES APLICADAS NA DECORAÇÃO

As cores exercem grande influência no ambiente, modificando-o, animando-o ou transformando-o, podendo alterar a comunicação, as atitudes e a aparência das pessoas presentes, pois todos temos reações às cores. No entanto, Mahnke (1996) afirma que apenas colorir o ambiente não é suficiente, uma vez que é fundamental haver adequação das cores com a função do espaço, o que retratará as características do indivíduo e a rotina vivenciada naquele local.  Sendo assim, antes de começar a decorar o imóvel, é fundamental compreender o significado das cores e sua interferência na rotina das pessoas que estarão no espaço aplicado.



A escolha das cores diz muito sobre o ambiente, observe:


Psicologia das cores na decoração

Vermelho (paixão, excitação, energia)

Tons avermelhados caem super bem para salas de estar e de jantar, por exemplo.  


Psicologia das cores na decoração

Amarelo (luz, calor, descontração, otimismo e alegria)

Essa cor funciona bem para todos os ambientes em que se pretende estimular a comunicação e as atividades mentais. Na cozinha, por exemplo, costuma favorecer reuniões familiares ou com amigos.


Psicologia das cores na decoração

Laranja (vitalidade, alegria, sucesso e prosperidade)

Salas de estudos, de reuniões ou ambientes onde a família se encontra para conversar, como sala e cozinha são pontos onde o laranja se encaixa perfeitamente. É também aconselhável para quartos de crianças.

Psicologia das cores na decoração

Verde (esperança, liberdade, vitalidade e saúde)

Essa é indicada para todos os ambientes do imóvel.

No banheiro, por exemplo, é interessante dispor de toalhas nesse tom, além de plantas ou detalhes de acabamento em verde vivo, pois é nesse ambiente que costumamos purificar o corpo e renovar as energias.


Psicologia das cores na decoração

Azul (tranquilidade, harmonia e serenidade)

Aplicado em tons suaves, costuma acalmar a energia dos quartos de crianças e adultos hiperativos. O azul também cai muito bem nos banheiros.


Psicologia das cores na decoração

Lilás (calma, tranquilidade, harmonia)

O ideal para essa aplicação é diluir a cor com branco, chegando em um tom azulado. Ideal para locais de meditação e renovação de energias.

Não é aconselhável pintar um ambiente inteiro de lilás forte, pois tem o poder da dispersão.


Psicologia das cores na decoração

Branco (paz, pureza e limpeza)

O branco é ótimo para qualquer espaço do imóvel, principalmente em cozinhas e banheiros. No entanto, quando aplicada num apartamento onde paredes, móveis e tapetes sejam brancos, o resultado pode estar próximo de um espaço frio e hostil. Se escolher branco, procure equilibrar com outras cores dentro das opções sugeridas acima.


Preto (respeito, solidão, medo)

A cor é indicada apenas para objetos ou detalhes de acabamento, pois o excesso de preto pode tornar o ambiente escuro e opressivo.

Antes de escolher os itens decorativos do seu apartamento, faça um estudo sobre as cores que serão aplicadas e deixe seu lar harmonioso e agradável, tanto para a família quanto para os visitantes.



Compreendida a importância das cores, certamente você fará uma ótima escolha e terá dias muito agradáveis. Acompanhe mais dicas como esta na sessão de Decoração do nosso blog.

Até a próxima.

Publicada em Julho de 2018
Informe seus dados abaixo e entraremos em contato com você por telefone, das 9h às 20h. Caso esteja fora deste horário de atendimento, deixe sua mensagem através do formulário de contato, que retornaremos o mais breve possível.